segunda-feira, 25 de outubro de 2010

para o vento


cinzas afundam na água
só aceito virar cinza se me soprarem ao vento
Para que eu me divida em mil pedaços e reapareça em outros lugares, como mágica.