sábado, 20 de setembro de 2008

Atabaque chora, chora também meu coração


Não tarda, o atabaque chora
O chão treme, o coração acelera.
E VOCÊ?
VOCÊ SERÁ OBRIGADO A ME CORRESPONDER!
O atabaque interior que grita
O som despertando a alma
Fragor!
Vai te acordar [verdade verdadeira]
Sinta o arrepio que vem do fundo
Admissão.
Algo vai suplicar sua atenção.
Sua pele, sua mente, TODOS SENTIDOS, coração...
Sobreviva.
Raízes vão impedi-lo de andar
Raízes vão silenciar
E deixar seu corpo-vida soluçar
É o barulho do atabaque
Fazendo-te dançar.

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Espelho

Qual canto pode fazer-nos dançar?
Quando não tropeçar?
Quando soltar as mãos, para na contradança se achar?
E Quando me guiar?
Quando saber que acabou?
E Quando a luz se apagar?
Quando acreditar no instante?
Quando acreditar em alguem?
Quando acreditar no amor?
Quando declarar?
Quando aprender?

Qual canto pode fazer-nos dançar?
Quando nao tropeçar.
Quando soltar as mãos, para na contradança se achar?
Quando me guiar.
Quando saber que acabou?
Quando a luz se apagar.
Quando acreditar no instante?
Quando acreditar em alguem.
Quando acreditar no amor?
Quando declarar.
Quando aprender?
Amar se aprende amando.

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Aphros


Chama
pra aliviar
dor de mulher
'Horas' da magia.
Deusa
Que nasce do sêmen do mar
Erva
Para magia interna
Imprescindível!
Meu canto de liberdade
Um grito!
Se ninguem atender
Chama que Afrodite te vê.

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Mônada

Mônada de mim diluída
Vê-se trancada em si
E cresce... se esvai
E desmorona... Quando alcança o corpo inteiro
Que hoje já não me serve.
Que ontem fez o corpo
Hoje é líquido, apenas.
Que só faz parte da palavra
Que hoje já não me serve mais
Que não sei onde encontrar.
Ela que esteve presente sem estar
Hoje não me serve mais, porque
Agora sei que para dar forma ao corpo
Não precisa pensar.

Substancia simples ativa, indivisível, de que todos os corpos são feitos Segundo Leibnitz

sábado, 6 de setembro de 2008

Dor desigual


Um chá para dor na alma
Um chá.
Que tenha poder de curar a dor na alma
Poder.
Compressa na ferida, reanimação.
Re-respiração.
Um chá para o desconserto
Costurar.
Um remédio para a dor, por favor,
Com solução; um que segure a mão, desamarre o coração, acabe com a erosão.
Milagre.
Agora, sem hora, vou embora, mesmo erma.
É preciso que haja a devolução de mim mesma.

1,2,3 e já!

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

INSTABILIDADE EMOCIONAL

VEZES ASSIM
VEZES ASSADA
VEZES EM MIM
VEZES IRADA
VEZES SEM FIM
VEZES COVA RASA
VEZES QUERUBIM
VEZES ESFARRAPADA
VEZES COLORIDA
VEZES FERIDA
ESFACELADA.

BY CASTI