quarta-feira, 18 de junho de 2008

Ritual do poeta

Isola,
Um canto, um santo, recanto
Me trás
Revela, com vela, com paz
Papel é véu
caneta:anel
Ultramar
Sexo dos horizontes
Semblante, sem antes...
desmembrar
Amante
Mistura para não desandar.

sexta-feira, 13 de junho de 2008

Efusão

Floresce cada vez
censura minha lei
É tíbio que foge,
que cala, que corre
apático, insensível
Frívolo, menino
Movimento impetuoso
E eu inerte.
Fel, perdição
Efêmero, fugaz
O amor é muito mais
Prefiro sonhar
é o que me cabe.