sexta-feira, 22 de maio de 2009

Eis o verso

Vejo nas entrelinhas
um mar de coisas
que não descubro
que me encobrem
e eu possuo
.
Um mistério
Coberto de areia
e nuvem roxa
e eu não possuo
.
Mas todo verso
é aparelhado para o mistério
cantado e não descoberto
.
Todo verso
é encoberto
por um mistério
protegido e calado
e eu canto para
Descobrí-lo

sábado, 16 de maio de 2009

[Violar]



Sempre que eu ouço o barulho de tiro sinto que fui atingida, mas eu não morri.
Aí, com dor fui despetalada, mas nunca morta.
Os tiros vêem, me arrancam um pedaço e se vão, mas deixam buracos em mim!
Um dia eu me olhei e vi que todas as armas tinham ocupado de vazio o meu corpo,
mas eu fui regada.

terça-feira, 12 de maio de 2009

Des.coberta!


"Mas a poeira é só a vontade que o chão tem de voar."