quarta-feira, 18 de junho de 2008

Ritual do poeta

Isola,
Um canto, um santo, recanto
Me trás
Revela, com vela, com paz
Papel é véu
caneta:anel
Ultramar
Sexo dos horizontes
Semblante, sem antes...
desmembrar
Amante
Mistura para não desandar.

2 comentários:

betina moraes disse...

simplismente extraordinário!

parabéns meu amor, pela qualidade e sensibilidade dos seus versos!

fiquei comovida com ele!

vou reservar um lugar especial para colocar no meu blog!

um beijo de fã!

Anônimo disse...

Faz tempo que não entro aqui!
Adorei os novos posts!
Um poema melhor que o outro!

Também voltei a postar no meu blog! Depois da uma conferida lá!

Até mais!!!

Thiago Almeida

=D