sexta-feira, 11 de julho de 2008

Violeta

Descobrindo os rituais
Dos poetas, dos humanos
Rasga sol ultra-violeta

Violeta
Permaneço, rituais
Dos poetas, dos humanos
queima sol ultra-violeta

qualquer cor
pinta caneta

Verde
canto, rituais
Dos poetas, dos poetas
Abraça sol ultra-violeta
Assa tudo

Dos poetas, dos poetas
Descoberta-brincadeira

4 comentários:

Thiago Almeida disse...

Sinceramente, você precisa publicar seus textos, não só de forma online, mas também de forma offline, ou seja, impressa!
Sei que é extremamente difícil lançar um livro, tenho está vontade, porém, creio que vale o sacrifício.
Seus textos são ótimo e abririam as portas de alguma editora.
Fica a dica!!!

Parabéns e continue escrevendo, sempre e sempre!

=D

betina moraes disse...

manaxiquíssima!

que saudade da tanta boa coisa que você me deixa lá em casa!

violeta é rítmico, como sempre. sua maior qualidade, além da não-fronteira e da desvergonha com as palavras. thiago tem toda a razão: publicar é preciso!

um beijo com todo o afeto, preciosa poeta!

betina moraes disse...

maninha...

acho que tá tudo ok lá no blog agora...

imagina ficar sem você lá? deus que me livre!


um beijo!

betina moraes disse...

então quer dizer que a senhorita mais doce de todo o planeta está no espetáculo?

fiquei muito feliz maninhaxica, muito mesmo!

talento estrelinha, talento!

um beijo e obrigada por sempre ser presente em minha vida...