sexta-feira, 22 de maio de 2009

Eis o verso

Vejo nas entrelinhas
um mar de coisas
que não descubro
que me encobrem
e eu possuo
.
Um mistério
Coberto de areia
e nuvem roxa
e eu não possuo
.
Mas todo verso
é aparelhado para o mistério
cantado e não descoberto
.
Todo verso
é encoberto
por um mistério
protegido e calado
e eu canto para
Descobrí-lo

Um comentário:

Jéssica Amâncio disse...

e eu escrevo para descobri-lo , eita verso difícil.