domingo, 25 de novembro de 2007


"Eu acredito é na rapaziada
Que segue em frente e segura o rojão.
Eu ponho fé é na fé da moçada
Que não foge da fera e enfrenta o leão.
Eu vou à luta é com essa juventude
Que não corre da raia a troco de nada.
Eu vou no bloco dessa mocidade
Que não tá na saudade e constrói
A manhã desejada.
Aquele que sabe que é negro
O coro da gente,
Que segura a batida da vida
O ano inteiro.
Aquele que sabe o sufoco de um jogo tão duro
E apesar dos pesares
Ainda se orgulha
De ser brasileiro.
Aquele que sai da batalha,
Entra no botequim,
Pede uma 'cerva' gelada
E agita na mesa, logo,
Uma batucada.
Aquele que manda o pagode
E sacode a poeira suada da luta
E faz a brincadeira,
Pois o resto é besteira
E nós estamos por aí..."
"Vamos a Luta"

Nenhum comentário: